Creche

Como suinocultor, você deseja criar leitões saudáveis que cresçam bem. Você também se esforça para obter o maior retorno de investimento possível. A chave para isso é estimular o consumo de ração. Pesquisas mostram que quando você atinge uma ingestão (muito) precoce de ração, os leitões serão mais fortes, terão uma resistência maior, sobreviverão melhor e crescerão bem.

Melhor solução nutricional combinada com suporte ideal

Fale com os nossos especialistas

Você se beneficia com nossa abordagem para leitões

Cada leitão passa pelo mesmo processo de crescimento, mas no seu próprio ritmo e à sua maneira. Isso depende de fatores como genética, ambiente, manejo, etc. Nas primeiras semanas o sistema digestivo dos leitões é imaturo e precisa de exposição gradual a diferentes matérias-primas. Essa exposição facilitará a transição para uma dieta diferente e amenizará os problemas relacionados ao desmame. O fornecimento de ração antes do desmame também estimula a ingestão da ração após o desmame, o que resulta em leitões mais saudáveis. Portanto, é essencial fornecer nutrição suplementar, junto ao leite da matriz, nas primeiras semanas de vida por cinco motivos diferentes. A abordagem da De Heus para leitões é baseada nos seguintes cinco elementos:

  • Fazer com que os leitões aprendam a beber
  • Fazer com que os leitões aprendam a comer
  • Fazer com que os leitões aprendam a digerir
  • Estímulo ao crescimento extra
  • Alto número de leitões sobreviventes


Romelko

Especialmente nas primeiras semanas de vida do leitão, é preciso assegurar uma ração balanceada e de alta qualidade. Esta é a única garantia que se tem para um crescimento rápido e saudável. Quanto melhor o desenvolvimento dos leitões, mais cedo eles podem mudar para uma alimentação mais simples e de menor custo, proporcionando um melhor retorno para você.

Saiba mais

Existe algum desafio em que podemos ajudá-lo?

Fale com os nossos especialistas

Perguntas frequentes

Nós temos as respostas para as suas perguntas

O peso ao desmame dos leitões pode ser aumentado através do aumento da produção de leite da matriz e do aumento da ingestão de creep feed. A produção de leite das matrizes pode ser aumentada ajustando o horário de alimentação das mesmas durante o período de lactação. Em seguida, a composição da dieta da lactação pode ser ajustada, pois para uma maior produção de leite são necessários mais nutrientes. A De Heus tem conhecimento sobre quais nutrientes devem ser ajustados para aumentar a produção de leite das matrizes. É importante acompanhar o desenvolvimento da condição corporal das porcas, pois se a produção de leite aumentar, muitas vezes pode resultar em uma perda maior dessa condição corporal. Portanto, é importante 'reparar' esta perda de condição corporal durante o período de gestação seguinte, para preparar as matrizes para uma boa produção de leite no próximo parto.


Embora a ingestão de nutrientes pelos leitões via ração seja limitada em comparação ao leite da matriz, ainda assim ela contribui para o aumento do peso ao desmame dos leitões. A De Heus tem dietas especializadas para leitões que podem ser fornecidas como suplemento ao leite da matriz. O importante nessas dietas é a escolha das matérias-primas, uma vez que os leitões não conseguem digerir todas elas tão bem como os porcos mais velhos. A De Heus tem muitas recomendações de manejo para maximizar o consumo de ração dessas dietas de creep feed na sala de parto.

O principal motivo da diarreia pós-desmame é uma infecção por E. Coli. A E. Coli é um habitante natural do intestino, mas pode causar diarreia assim que a saúde intestinal for perturbada. As duas principais razões para a redução da saúde intestinal são uma ingestão muito baixa de ração, bem como uma ingestão muito alta de ração após o desmame. Uma ingestão muito baixa de alimento resulta em danos às vilosidades e criptas no intestino devido ao fornecimento insuficiente de energia para manutenção. Devido ao dano, menos enzimas são produzidas para a digestão das matérias-primas e a superfície de absorção é reduzida. Isso resulta no aumento de nutrientes não digeridos que entram no intestino grosso e, especialmente, a proteína não digerida é um risco, pois é usada como meio de crescimento para E. Coli. Finalmente, isso resulta em uma rápida multiplicação de E. Coli, danificando o intestino grosso e, portanto, a reabsorção de água é reduzida, o que resulta em diarreia. Uma ingestão muito alta de ração também pode ser um risco, pois nem todos os nutrientes serão digeridos e absorvidos novamente, resultando em substrato no intestino grosso para rápida multiplicação de E. Coli. Parte da solução é alimentar um creep feed ao lado do leite da matriz na sala de parto, pois assim os leitões são treinados a digerir cereais e proteínas vegetais, aumentando assim a capacidade digestiva pós-desmame. Além disso, uma maior ingestão de ração na sala de parto também estimula a ingestão de ração após o desmame, o que reduz o risco de uma ingestão muito baixa de ração após o desmame. Também é importante selecionar as dietas corretas pós-desmame, que devem ser feitas com base na ingestão de ração: se a ingestão de ração for baixa, deve ser selecionada uma dieta que estimule a ingestão, enquanto que se a ingestão de ração for muito alta, a dieta deve reduzir mais cedo o consumo. A De Heus tem conhecimento sobre quais matérias-primas estimulam ou reduzem o consumo de ração e isso está implementado nos nossos conceitos. Por último, mas não menos importante, também os conceitos para estimular a saúde intestinal (por exemplo, probióticos, prebióticos e fibras específicas) e reduzir a pressão patogênica (por exemplo, seleção de ácidos orgânicos) podem ajudar na redução da diarreia em leitões pós-desmame.

Mesmo que as ninhadas às vezes sejam pequenas, ainda assim é benéfico fornecer ração de creep feeding para leitões. Além do fornecimento de nutrientes para um maior ganho de peso, também traz outros benefícios. Faz com que os leitões aprendam a beber água, pois a ingestão de ração estimula a ingestão de água. Se não for fornecida uma dieta de creep, os leitões podem depender da água do leite e, portanto, não aprender como funciona um bico de água. Isso pode levar, após o desmame, a um atraso na ingestão de água, o que será negativo no consumo de ração após o desmame. Também faz com que os leitões aprendam a comer ração seca, já que costumam beber apenas leite. Faz com que os leitões aprendam a digerir, pois há componentes na ração seca (amido e proteína vegetal) que não estão no leite da matriz. As enzimas são necessárias para a digestão e, ao fornecê-las na sala de parto, os leitões passam a produzir aquelas enzimas que os preparam para digerir maiores quantidades de startch e proteína vegetal após o desmame.

A principal razão para o desenvolvimento de necrose da orelha é a falta de oxigênio para os vasos capilares das orelhas. As principais razões para isso são veias do ouvido bloqueadas, fluxo sanguíneo reduzido e danos externos. A De Heus desenvolveu conhecimento de como essas razões se desenvolvem. Todas elas têm suas próprias soluções nutricionais e de manejo. Por exemplo, menor ventilação da sala pode resultar na redução do nível de oxigênio do ar, aumentando o risco de necrose da orelha. Se a redução do fluxo sanguíneo for a causa da necrose da orelha, a adição de óleo de peixe pode ser uma solução, pois dilata os vasos sanguíneos. Para mais caminhos e soluções, entre em contato com seu representante de vendas De Heus.