Home / Notícias / Notícias / Londrina ganha centro experimental de nutrição com expertise holandesa

Londrina ganha centro experimental de nutrição com expertise holandesa

- Da parceria entre De Heus e UEL foi inaugurado o Centro Experimental para Pesquisas em Nutrição de Suínos, com workshop de especialistas

1º Workshop De Heus de Suinocultura
Palestra do Prof. Dr. Caio Abércio da Silva para o 1º Workshop De Heus de Suinocultura
Cerimônia de inauguração do Centro Experimental
Instalações do Centro Experimental

A inauguração do Centro Experimental para Pesquisas em Nutrição de Suínos e o 1.º Workshop De Heus de Suinocultura agitou a área de pesquisa em Londrina nesta semana. Os dois eventos, que tiveram a presença de mais de 150 pessoas, contaram com a presença da comunidade acadêmica da Universidade Estadual de Londrina e de outras de destaque na região, como UniFil, UNOPAR, UENP, Unioeste e UEM, associações e importantes profissionais da área privada.

No Centro Experimental são desenvolvidos pesquisas e experimentos em intercâmbio com o Centro de Excelência da empresa na Holanda, com foco em promover a melhoria contínua em produção e gestão nutricional de suínos. “A De Heus sempre buscou, também, oportunidades para impulsionar a evolução tecnológica da nutrição animal por meio de parcerias com o mundo acadêmico, integrando a excelência científica da universidade com a multiplicidade e o dinamismo do conhecimento técnico de campo, gerando sinergias para se desenvolver tecnologia nutricional de vanguarda e com alto potencial de eficiência”, destacou Hermanus Wigman, diretor-presidente da companhia. 

Segundo ele, as mudanças no mundo dos negócios, assim como na sociedade, estão cada vez mais rápidas. A estratégia de uma organização precisa deixar de resistir às transformações e tornar-se mais dinâmica, fazendo com que a companhia seja capaz de seguir o que o mercado está regendo, estando preparada para as imprevisibilidades que o futuro pode reservar. “É o que chamamos de mundo VUCA: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade. A sigla americana, que vem sendo cada vez mais discutida em ambientes corporativos, reflete algumas características do mundo atual, que passa por transformações cada vez mais constantes. Pois hoje, é impossível imaginar progresso continuado e sustentável – na vida, nos negócios e na sociedade – sem a geração contínua de novos conhecimentos que produzam melhorias econômicas e avanços em nossa capacidade de fazer as coisas, aumentando sempre a eficiência, os resultados, a conservação dos recursos e a qualidade de vida das pessoas”, afirma.

Wigman também destacou que a De Heus sempre pautou a sua atuação pela primazia da ciência e da inovação – e foi esse ativo de conhecimentos que proporcionou à empresa sua expressão mundial, hoje marcada pela presença em mais de 50 países. Aqui no Brasil, a companhia se considera relativamente pequena, mas sonha alto, tanto que triplicamos o montante das operações em cinco anos, desde que chegamos ao país. “Fazemos um esforço para compartilhar conhecimento com profissionais do mundo todo, integrando e trocando informações na nutrição para suínos. Prezamos pela alimentação responsável e saudável, com a consciência da redução de medicamentos e antibióticos nas rações, e sabendo que a demanda animal está crescendo, porém, os recursos são escassos”, salientou o holandês Martin Rijnen, Diretor Global de Nutrição da companhia.

A Universidade Estadual de Londrina é um dos polos de excelência – no Brasil – em ciência voltada à produção animal sustentável. “Pesquisas que valorizam a alimentação final – a qualidade da carne consumida por humanos – é uma tendência global”, explica o professor Caio Abércio da Silva, do Departamento de Zootecnia, chefe da Divisão de Produção Animal da Fazenda Escola da UEL, e intermediador na parceria com a De Heus. “Estamos satisfeitos com este novo espaço, que multiplica o potencial de pesquisa, mais conhecimento e estudos e uma formação de mais qualidade aos nossos alunos”, completa a reitora Prof.ª Dr.ª Berenice Quinzani Jordão.  A primeira parceria do Grupo Royal De Heus com a área acadêmica deu-se há décadas, na Holanda, e foi estabelecida com a Universidade de Wageningen, atualmente é a 1.ª colocada no ranking de ciências agrárias da U.S. News & World Report, que classifica as melhores faculdades do mundo em 22 áreas do conhecimento.

Para dar especial destaque e sinergia à data de inauguração - representando assim, simbolicamente, a integração de saberes das duas instituições - aconteceu no mesmo dia na UEL, o 1.º Workshop De Heus de Suinocultura, com palestras dos especialistas Martin Rijnen, Diretor Global de Nutrição da companhia; Prof. Caio Abércio, da UEL; Gabriel Salum, Gerente Técnico de Suínos da De Heus e do holandês Johan Zonderland, Líder de Pesquisa e Desenvolvimento em Suinocultura da De Heus.“Dar suporte ao nosso conhecimento e investir em pesquisas são as chaves que conduzem a descobertas e as novas tecnologias na área de alimentação animal”, destacou Johan.

Com investimentos de cerca de R$ 250 mil, o prédio da Unidade Experimental de Suínos possui 350 metros quadrados e conta com 40 baias. Cada baia tem a capacidade de receber até cinco animais adultos ou 10 leitões desmamados, ou seja, no espaço cabem 200 animais grandes ou 400 leitões. A unidade - construída em quatro meses - conta ainda com uma sala de manipulação de material, escritório, sanitários e rampa de carga e descarga.

A De Heus pretende manter os planos de expansão e crescimento no Brasil e está em fase de agendamento para inauguração de um Centro de Distribuição do Nordeste, em Caruaru, em Pernambuco, com foco em aproximar e agilizar o atendimento das demandas aos clientes da companhia na região.