Home / Notícias / Notícias / De Heus apoia o Prêmio Quem é Quem - Maiores e Melhores cooperativas de Aves e Suínos

De Heus apoia o Prêmio Quem é Quem - Maiores e Melhores cooperativas de Aves e Suínos

- Premiação reconhece o trabalho desenvolvido pelas cooperativas

Segundo Rinus Donkers — diretor da De Heus América Latina e presidente da De Heus Brasil — durante a abertura oficial da feira AveSui EuroTier South America, em Medianeira, no Paraná, o Prêmio Quem é Quem: Maiores e Melhores Cooperativas Brasileiras de Aves e Suínos representa um reconhecimento do trabalho desenvolvido pelas cooperativas no desenvolvimento do agronegócio brasileiro. “Nos sentimos honrados em apoiar o prêmio “Quem é Quem – Maiores e Melhores Cooperativas de Aves e Suínos” que se identifica com o nosso propósito, o de ajudar a impulsionar o agronegócio, já que o cooperativismo no Brasil possui atributos semelhantes aos nossos pilares: o envolvimento, presente no progresso conjunto e o comprometimento com as parcerias construídas; o empreendedorismo, resultante do trabalho duro para enxergar as oportunidades e capitalizá-las; a melhoria contínua, que busca superar as expectativas e fazer sempre mais e melhor; a qualidade presente em todos os produtos e serviços entregues; e o foco no desempenho da atividade, entendendo a singularidade de cada sistema e buscando soluções ideais para atingir o máximo resultado em cada situação”, completa.

Segundo ele, esse reconhecimento acontece num momento em que a atenção para o agronegócio brasileiro ganha cada vez mais importância no cenário mundial da produção de alimentos. Diante das projeções de crescimento populacional mundial feitas pela ONU — até 2050, seremos quase 10 bilhões de pessoas, com crescimento expressivo na Ásia e na África. Contudo, poucos países têm capacidade para aumentar a produção de alimentos e atender à demanda futura. Nesse cenário, o Brasil é colocado em posição de destaque. De acordo com o USDA, é esperada uma expansão de 69% para a produção brasileira na próxima década. Essa atuação abundante exibida pelo agro brasileiro é alcançada com base em ciência, tecnologia, com­petência das cooperativas e também do produtor. Há de se destacar também a abundância de recursos naturais, incluindo terras aráveis e a maior reserva de água doce do planeta (o Aquífero Guarani). Isso potencializa o Brasil como um dos maiores exportadores mundiais de alimentos.

 

Com a preocupação para o aumento da produção, cresce também o movimento em busca da sustentabilidade, onde tudo no sistema é mantido em equilíbrio e funciona em harmonia, tanto do ponto de vista ambiental, quanto social e econômico. Nunca se falou tanto sobre segurança alimentar como agora! A resoluções normativas do MAPA têm direcionado claramente boas práticas de produção, visando a inocuidade dos alimentos de origem animal, destacando maior controle e a restrição gradativa ao uso de antibióticos e proibição dos promotores de crescimento. O consumidor está mais atento, e na cadeia do agronegócio há maior conscientização na busca por uma forma mais responsável de produzir.

Na Europa, há mais de 30 anos, as pressões sociais para a redução da utilização de antibióticos na produção animal e a proibição de uso na ração, transformaram a atividade agropecuária. “Isso impulsionou na De Heus o desenvolvimento do Responsible Feeding: um programa de longo prazo, que traduz a visão da companhia sobre sustentabilidade, envolvendo clientes, fornecedores, colaboradores e a sociedade de forma geral. O conceito é baseado em 5 ingredientes: obtenção da maior produtividade possível a partir de animais saudáveis (que chamamos de Natural Power); aquisição de matérias-primas com responsabilidade; produção de menor impacto ambiental; time de funcionários engajados e contribuições com soluções úteis para o mercado e a sociedade. Devido ao forte intercâmbio de informações com nossas unidades ao redor do mundo (em mais 75 países), estamos prontos para ajudar o agronegócio brasileiro neste novo capítulo, sendo a força motriz e impulsionando o progresso através de um profundo conhecimento em ciência e nutrição animal”, detalha Donkers.

O diretor-presidente salientou que a De Heus tem pressa, tem planos e tem vontade - tanto que mais que quintuplicou suas operações desde que chegou ao Brasil há seis anos, e vem recebendo crescente reconhecimento do mercado, com um consistente ritmo de crescimento anual: “Desde que iniciamos nossas atividades no país, nossa companhia fez sólidas parcerias! Participamos ativamente do dia a dia de importantes cooperativas, compartilhando o know-how de mais de 100 anos de experiência — objetivando o crescimento mútuo”.

Nestes seis anos de Brasil (sete, no próximo mês), a multinacional holandesa investiu na moderna Fábrica Dedicada - que se dedica em especial a alimentos para animais jovens -, estrategicamente localizada em Toledo, um grande polo produtivo, e em franca expansão. “Construímos um laboratório, que é um dos mais avançados núcleos de análises nutricionais do país, totalmente integrado à rede de laboratórios De Heus ao redor do mundo, e capaz de manter o nosso mercado alinhado com as tecnologias e metodologias mais avançadas de análise laboratorial. Em apoio ao desenvolvimento científico, erguemos um Centro Experimental para Pesquisas em Nutrição de Suínos, em parceria com a Universidade Estadual de Londrina. Inauguramos, no ano passado, um Centro de Distribuição de Caruaru, estrategicamente posicionado para atender o mercado do nordeste. Como parte do nosso Master Plan e da política de investimentos contínuos da De Heus, este ano estamos em pesados investimentos para a modernização de todo o nosso parque industrial, com conclusão prevista já para 2020. E não para por aí: vocês ainda vão ouvir muito sobre a nossa expansão – incluindo a presença e proximidade às novas fronteiras agrícolas!”,  finaliza Donkers.